Nota

Pessoal reclama de cobrir polícia ou celebridade porque nunca tentou entender como funciona um reator nuclear.

“Eu contava degraus para passar o tempo”

Já que o blog está sem posts, pensei em alimentá-lo com trabalhos da faculdade que não foram publicados. Segue um.


“Eu contava degraus para passar o tempo”

Motoristas de ônibus universitários precisam aguardar alunos que estão em aula sem ter nada para fazer.

SÃO LEOPOLDO, 02/09/2008 – Há dez anos, parte da rotina diária de Almir Koch, 40, permanece inalterada. Koch é motorista de ônibus universitário, transportando alunos da cidade de Feliz, e precisa ociosamente esperar várias horas por dia na Unisinos, aguardando os alunos que estão em aula.

O pior ano para Koch foi o de 1999, quando fez os três horários – manhã, tarde e noite, passando quase nove horas diariamente na universidade. O motorista diz que contava degraus da universidade para passar o tempo no horário da tarde. No semestre atual, o Koch faz apenas dois horários: o da tarde, das 2h às 4h50, e da noite, das 19h30 às 22h25.

Durante a tarde, recupera o sono que não teve à noite, já que precisa acordar às 5h20 da manhã, após um sono de apenas cinco horas. À noite, conversa com os colegas, toma chimarrão e “mente um pouco, quando não tem mais assunto”, brinca. Vilson Specht, 27, e Ronaldo de Souza Câmara, 30, são os colegas de Koch no horário noturno.

Specht, que conduz um ônibus que transporta alunos de Vale Real, está em seu segundo semestre na rota. Para o motorista, o mais angustiante é a espera pela passagem do tempo, enquanto seus colegas vêem o frio como pior inimigo. Specht admite, no entanto, estar feliz por ter sido transferido da UCS para a Unisinos devido ao frio de Caxias do Sul.

O novato Câmara está em sua segunda semana como motorista universitário e ainda não sabe o que vai fazer para passar o tempo. “Estou vendo o que é melhor”, diz. Por enquanto, acompanha os colegas na roda de chimarrão. Mas sabe que esta rotina não será fácil, já que a passagem do tempo parece demorar cada vez mais.