Lenovo: duas compras, duas experiências

Indignação e raiva. São duas palavras que mais ou menos resumem o que senti durante minha primeira compra na Lenovo Brasil. A Lenovo, para quem não conhece, é a empresa que adquiriu a divisão de desktops da IBM. (Quem não conhece a IBM, vá ler outro blog, sério.) Surpreso e satisfeito. É como me sinto agora após uma segunda compra lá.

Justificando. Precisava trocar um computador velho aqui, que era usado só para internet e edição de texto. Ou seja, não precisava ser uma máquina fabulosa, apenas qualidade para não dar mais problema que a velha. O preço era importante também, lógico.

Fiquei durante semanas de olho nas ofertas de seminovos na Dell. Quando finalmente uma lista apareceu, havia um bom PC com 2GB de RAM, Pentium Dual Core e monitor 17″ LCD por R$720. Bom negócio. Mas até eu enviar um e-mail, já havia esgotado o estoque.

Desde então a Dell não publicou nenhuma lista de equipamentos seminovos — não que eu tenha visto, pelo menos. Mas em dezembro, a Lenovo colocou diversos computadores em oferta. De natal, diziam. Adquiri um desses computadores.

O PC foi adquirido no meio de dezembro, e deveria chegar aqui 30 dias depois. Mas tudo atrasou. Até o boleto, que deveria ter sido encaminhado pela Lenovo dentro de três dias úteis, chegou em cinco. E a confirmação do pagamento, que deveria ter ocorrido em seguida, também demorou. A máquina adquirida na metade de dezembro chegou apenas no início de março. Se isso não fosse o bastante, veio ainda com uma nota, equivocada, que dizia que eu deveria “devolver” um “volume”. Levou mais um dia para o pessoal da transportadora descobrir que era um engano.

Jurei para mim mesmo que jamais faria outra compra na Lenovo. Porém, não esperava que o equipamento adquirido lá — um desktop ThinkCentre, equipado com um Sempron LE 1150 2GHz e 1GB de RAM — fosse de uma qualidade tão excepcional. Silencioso, com ótimas ferramentas de manutenção. Sem contar o Windows XP Professional original, os três anos de garantia e as duas saídas VGA, incomum para um PC que custou apenas R$550.

Recentemente, a Lenovo colocou em oferta alguns monitores. O modelo L193p (19″ 4:3 DVI), cujo preço de tabela é acima de R$1.100 1, estava sendo vendido por R$550, frete incluso, garantia 3 anos.

Resolvi comprar, com medo do que me esperava.

Mas as coisas foram bem diferentes. Desta vez, paguei com cartão. Em dois dias, o produto havia sido faturado, e o prazo de entrega que me deram, no dia 28/05, foi de 6 dias. Nessa segunda-feira (1º), exatos dois dias úteis depois, o produto chegou aqui.

A qualidade do monitor é a mesma do ThinkCentre que adquiri. A configuração padrão não apaga cinzas ou torna as cores excessivamente “vivas” de tal forma que tudo tenda ao branco, como outra marca de monitor que tenho faz. Ele também veio com a base instalada e com recurso de gerenciamento de cabos.

thinkvision-cabos
Gerenciamento de cabos no Lenovo ThinkVision L193p. (Foto: Altieres Rohr)

Na foto acima ele também está na posição vertical; além do ajuste de inclinação, ele também possui ajuste de altura e giro. Na faculdade, e na minha profissão também, eventualmente — se trabalhar com impressos –, terei que editorar ou diagramar páginas. A posição vertical facilita muito essa tarefa, porque o espaço da tela se assemelha mais ao que está sendo diagramado (a página). Em monitores Widescreen sem qualquer opção de rotação, fazer isso é uma droga (exceto se você quer ver duas páginas ao mesmo tempo, o que pode ser útil para ver o trabalho final. Mas estou usando o micro com dois monitores agora, então…)

Enfim, quase que eu iria escrever um post aqui no blog reclamando do meu primeiro atendimento na Lenovo. Mas, pelo visto, fui uma exceção da primeira vez, já que a diferença entre uma experiência e outra foi muito grande. Fico neutro, mas se vou comprar novamente na Lenovo caso alguma oferta me interesse? Certamente!

  1. Esse preço parece absurdo. Mas o UltraSharp equivalente, na Dell, custa R$929.