… [2]: O “me too” do Orkut

Se você passou qualquer tempo razoável em tópicos de comunidades no Orkut e prestou atenção ao que estava “lendo”, deve ter visto este fenômeno: alguém diz sua opinião ou dúvida e, nos posts seguintes, outras pessoas citam a mesma frase acrescentando “[2]” (ou “[3]”, “[4]”…) para indicar que partilham do mesmo ponto de vista ou incerteza. Isso não é nada além de uma modernização de uma conhecida expressão internética: “me too”.

A comparação mais adequada que consegui achar para entender o fenômeno “Orkut” é a Usenet do início até meados dos anos 90. Até 1993, a Usenet era reservada para instituições acadêmicas e o fluxo de novos usuários era previsível (sempre em setembro) e pequeno, pois estava restrito aos calouros das universidades. Depois de um tempo, estes se adequavam às normas de comportamento na rede.

Em 1993, a America Online (AOL) liberou o acesso de seus usuários de internet doméstica à Usenet, iniciando o chamado “setembro eterno” — um fluxo interminável de novos usuários sem qualquer conhecimento sobre netiqueta, isto é, o comportamento correto na rede. Entre as várias gafes dos usuários da AOL, uma delas é o “me too” (“eu também”): quando algo era postado, todo mundo que concordava com aquilo seguiria postando “me too”.

Penso que “[2]”. “[3]”, ou, alternativamente o mais curto “+1”, são extensões desse mesmo “me too” e, portanto, um comportamento pouco adequado na rede. Parece-me que mesmo usuários frequentes não se dão conta da paralelo entre o “me too” e o “[2]”; provavelmente, poucos se dão conta do paralelo Usenet/EUA / Orkut/Brasil.

Para mim, no entanto, o paralelo é claro. A AOL é responsável pela explosão da internet comercial nos EUA, e logo adicionou suporte para a Usenet — o primeiro meio de interação direta entre os usuários da rede. O meio de interação aqui no Brasil é o Orkut, e ele apareceu exatamente no período de ascensão do número de usuários, tendo, portanto, o mesmo significado da Usenet para nós.

Acho legal procurar paralelos entre a Usenet e o Orkut. Pode revelar muita coisa. E poderemos atestar que a Usenet toda está se repetindo aqui… a começar pelo setembro eterno e o “movimento” contra a inclusão digital, isto é, o desprezo para com os usuários sem instrução adequada que estão apenas começando a usar o computador para se comunicar.

Uma ideia sobre “… [2]: O “me too” do Orkut

  1. Gostei muito deste sua comparação, sou leigo totalmente em inglês e vim parar aqui graças ao google.. meus parabéns..
    abs!

Os comentários estão fechados.